21 maio 2017

Vamos falar sobre "Tudo e Todas as Coisas" - O Filme


Sabe aquele livro que você não curtiu muito, mas ficou ansioso pela adaptação? Então. É exatamente o que aconteceu comigo em Everything Everything.

O começo do livro (no meu caso) foi muitoooo lento, a história não andava, grandes eventos não acontecia, simplesmente não fluía a leitura (apesar da autora ser muito boa, que por sinal ameiii o segundo livro dela “O sol também é uma Estrela”). Teve um certo momento após a página 200 que as coisas realmente começaram a acontecer e a ficar empolgante, eu fiz uma maratona de leitura e consegui chegar no ápice da história quando acontece a tal fatídica reviravolta. E foi exatamente nesse ponto meu grande problema com o livro. Eu estava tão imerso naquele universo de romance, viagem, a primeira vez, toda aquela fase mágica do primeiro amor, que aquela revelação foi como um balde gelo no meu prato de sopa kkk. Eu sabia que eles colocariam isso no filme e tinha certeza que isso modificaria a atmosfera do filme assim como aconteceu com o livro. #Infelizmente

O filme está uma perfeita adaptação para quem leu o livro, é claro que como SEMPRE os produtores remove personagens ou acontecimentos do livro que eles não teriam tempo de abordar no cinema. Eu sou apaixonado pela adaptação da Culpa é das Estrelas, e acho que Tudo e todas as coisas foi tão bem adaptado quanto. O filme tem seus momentos melodramáticos quando necessário, tem uma carga de romance tão forte quanto no livro, tem todas as partes essenciais da história. Eu vejo esse filme focado mais para o público adolescente, então você já vai preparado para assistir um filme super jovem (diferente de Um amor para recordar que é uma adaptação que agrada todas as idades).

Eu tive uma surpresa no livro, que foi o relacionamento abusivo que o protagonista (Olly) sofria junto com sua família pelo seu pai. No filme nada disso é abordado, o foco é totalmente na protagonista, sua doença, e o romance “impossível” dos dois. Como a história é muito centrada no casal (no livro), no filme alguns personagens ganharam mais destaques e acrescentaram em uma boa parte da narrativa.



Óbvio que as pessoas irão comparar Tudo e todas as coisas com A culpa é das estrelas pois serem adaptações de livros famosos mundialmente e por ter um apelo muito grande ao público jovem (e principalmente por terem protagonistas que possuem uma doença que pode levá-los a morte inevitavelmente) . Se eu for seguir nesse pensamento de comparação, eu imagino que ACEDE seja um filme que ficará marcado como um romance obrigatório assim como aconteceu com Um amor para Recordar e o maravilhoso Como eu era antes de você. Já Tudo e todas as coisas se tornará esquecível com o passar do tempo por ter uma trama com pouca profundidade. Quando o filme acaba você percebe que era só um romance fofo com um final chocante e nada além disso, a atmosfera muda de romance para algo mais policial, então você saí meio confuso do filme pensando se realmente gostou da história. É óbvio que essa é minha opinião, todos vocês tem livre-arbítrio para ter suas próprias conclusões.

Eu citei esses romances não por fazer uma comparação, mas por ser adaptações maravilhosas que realmente me deixaram apaixonado por cada personagem e seus dramas. Como eu era antes de você, gera uma discussão sobre a eutanásia (acho que é esse o nome). ACEDE vai tratar da forma mais sincera possível o sofrimento que o câncer pode causar. Um amor para recordar , fala tanto sobre o bullying quanto as mudanças que o amor pode causar. E Tudo e todas as coisas tenta falar sobre depressão, luto (e outras coisas que não posso falar por ser spoiler), mas os assuntos abordados no filme não teve a profundidade que eu gostaria que tivesse, os temas não foram trabalhados ao ponto de gerar uma discussão (se é que vocês me entendem). Eu imagino que quando vocês vieram ler a critica do filme, não era bem isso que vocês gostariam de ler. Quando uma adaptação é maravilhosa e emocionante, eu sou o primeiro a vir aqui e fazer um post gigante elogiando horrores o filme, mas quando o filme não me conquista eu preciso falar de forma sincera o que eu realmente sinto.



Esqueci de mencionar algo que eu não estava esperando e que me surpreendeu. Geralmente nesses romances jovens, os protagonistas são virgens e meio que irão descobrir esse universo juntos e tal. Mas em Tudo e todas as Coisas o protagonista Olly parasse que entende muito bem o que está fazendo kkk. Eles tem uma pegada bem hot para protagonistas de romance Jovem/Adulto rsrs. Eu fiquei pensando: Querida, pra quem nunca saiu de casa, você é bem chegada no balacobaco heim!! #Danadinha

Resumindo, o filme com certeza vai atingir o foco do seu público e agradar todos os jovens que forem assistir e os adultos (um pouquinho). O filme assim como o livro terá romance, pitadas de humor negro, aquele lance de “Meu primeiro amor”.. Essas coisas. Do fundo do meu coração eu gostaria que o livro não tivesse aquela revelação final, se ele seguisse o curso da narrativa e terminasse com um final trágico seria a coisa mais maravilhosa do mundo pra mim, mas a autora introduziu aquela BOMBA e cagou todo final da história. PRONTO FALEI!


2 comentários:

  1. Amigo adorei o post mas eu só consigo pensar qual é essa bomba que a autora colocou no final do livro kkkk eu nem vou dormir de curiosidade, não vou aguentar esperar até comprar o livro se eu comprar kkkk me conta lá no face isso...prometo não contar a ninguém kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, sem condições de vc ainda não ter lido esse livroooooooooooo. Menina ele foi lançado faz tempo, vc já deveria ter lidoooooooooo. Obrigado pela visita e por super ter curtido o post

      Excluir

Pessoal, eu estou respondendo todo muito a noite quando volto do trabalho. Mas no Facebook eu respondo mais rápido!!